Análise de agentes químicos na prevenção de riscos ocupacionais
Análise de agentes químicos na prevenção de riscos ocupacionais
maio 30, 2019
Análises de agentes químicos e biológicos para higiene ocupacional
Análises de agentes químicos e biológicos para higiene ocupacional
junho 6, 2019
Análise de agentes químicos para indústria importante para todos os setores

A possibilidade de um trabalhador ter algum dano, oriundo de seu serviço, é conhecida como risco ocupacional. Isso significa que são acidentes ou males referentes ao que esse profissional está exposto durante o seu trabalho ou decorrente de sua ocupação. Por isso, a análise de agentes químicos para indústria é algo essencial nos dias de hoje.

Em cada tipo de ambiente e tarefa a particularidade deste perigo é diferenciada. Isso porque a exposição do trabalhador ao perigo tem a ver com a forma de produção. A análise é um procedimento relevante para a avaliação do perigo no ambiente de trabalho por oportunizar a identificação de todas as substâncias e agentes perigosos.

Esses processos identificam tudo o que se encontra em ambiente, bem como o que é usado pelo colaborador. Para que facilite a determinação de ações de prevenção nas empresas, a análise de agentes químicos para indústria necessita de precisão. Portanto, é indispensável a utilização de ferramentas, dispositivos e valores da forma apropriada.

Além disso, a Legislação Trabalhista define os perigos laborais conforme a sua natureza: física, química, biológica, ergonômica ou acidental. Desta maneira, esses eventos podem ser operacionais, comportamentais ou ambientais. Neste último quesito, a análise de agentes químicos para indústria desempenha um papel fundamental.

Afinal, esse tipo de verificação tem o intuito de minimizar os riscos e a assegurar o bem estar do trabalhador. Tudo para que ele e/ou seus companheiros possam executar os seus afazeres da melhor maneira possível e sem correr risco.

Como realizar a análise de agentes químicos para indústria

Este é um procedimento referente a segurança do trabalho e precisa estar incluído às estratégias de higiene ocupacional. A meta primordial é antecipar, diagnosticar, analisar e gerenciar os perigos oriundos de um local de trabalho.

De maneira antecipada, a análise de agentes químicos para indústria é essencial para calcular a exposição dos funcionários a certos produtos ou elementos. Além de comparar essas informações com as restrições toleradas a partir dos parâmetros legais.

Quando efetuada de forma apropriada, essa prática oferece dados precisos para que especialistas tomem as ações necessários. Tudo para impedir a ocorrência de acidentes ou o aparecimento de enfermidades laborais.

Quais agentes químicos podem ser analisados?

Esse procedimento pode ser executado a partir de qualquer produto, mistura ou composto que possa entrar no organismo do funcionário. Essa penetração, geralmente, acontece pela respiração, absorção cutânea ou ingestão.

Segundo o conceito da NR9, esses elementos prejuízos podem surgir no formato de fumos, vapores, neblinas e gases. A sílica pode ser vista como um perigo químico. Porque quando o sujeito entra em contato com essa substância por muito tempo pode sofrer com um mal respiratório, como a silicose.

Como é feita a análise de agentes químicos para indústria

Ativa

Neste procedimento, o ar é sugado por um dispositivo de amostragem a partir do uso de uma bomba ou de um sistema coletor. Esse sistema pode ser formado tanto por tubos quanto por filtros. A bomba atua em mínimas ou elevadas vazões, que oscilam minuto a minuto. Os filtros para essa coleta necessitam ser realizados com materiais distintos. Os tubos tendem a ter matérias absorventes.

Passiva

Essa é uma técnica que utiliza um sistema passivo e com focado em gases e vapores. O funcionamento depende muito da movimentação molecular do agente contaminante por diferença de concentração.

Isso quer dizer que as moléculas vão de um local de concentração mais elevado para um mais baixo. Do local para a membrana absorvente do dispositivo passivo. A seleção do equipamento precisa estar de acordo com cada caso avaliado.

Vale salientar que a análise de agentes químicos para indústria passiva pode ser custar relativamente mais do que o processo ativo. Isso se sucede porque os aparelhos usados neste processo contam com valores mais altos.

Em contrapartida, essa operação descarta a necessidade de uma bomba. Sendo assim, não há a necessidade de calibragem correta para descobrir se existe alguma falha ao longo da avaliação.

Identificação do agente químico e reconhecimento do risco

A primeira ação a se tomar é reconhecer o elemento que passará pela análise de agentes químicos para indústria. Afinal, há diversos elementos químicos, e não ter a convicção a respeito disto vai acabar em um processo mal sucedido. Ou seja, se pode acreditar que se coletou algo, quando se teve contato com outro.

Quando não se sabe reconhecer os agentes presentes, é preciso tomar algumas medidas. Nessa situação, dá para se concluir a etapa de reconhecimento com amostras colhidas no pior cenário e com metodologia e até aparelho menos precisos. A fim de apontar a direção correta e assegurar uma análise de alto nível.

A Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) é um instrumento relevante no processo de identificação das ameaças. Além disso, o FISPQ tem impacto direto no que será exibido. Trata-se de uma documentação efetuado pela ABNT NBR 14725 com o objetivo de apresentar os perigos vinculados aos produtos químicos usados nas companhias.

Esse documento precisa estar disponível a todos os profissionais que efetuam atividades que tenham contato com algum elemento químico. Com a verificação do FISPQ, é possível achar a descrição de diversos produtos e dados fundamentais. Tais como: a composição, a mistura, as ações de segurança, a regulamentação, o aspecto, entre outros.

Reconhecimento do ambiente de trabalho e das atividades realizadas

É indispensável também efetuar o reconhecimento do ambiente que passará por uma análise de agentes químicos para indústria. Bem como todas as atividades que são realizadas naquele espaço de trabalho. Isso vai auxiliar a estabelecimento os fatores presentes na exposição e permitirá um levantamento com informações precisas ao fim do processo.

A quantidade de pessoas expostas precisa ser estabelecida precisamente tomando como base o local e as todas as observações efetuadas. Deve-se considerar todos os profissionais presentes e que foram submetidos a exposição a longo prazo.

E, por fim, a análise de agentes químicos para indústria também deve contemplar o horário de trabalho, o cargo, as turmas, o ritmo, a freqüência, o tempo de exposição, ventilação e o contato com os materiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Área de Clientes