Análise de agentes químicos para prevenção de riscos ocupacionais das empresas-01
Análise de agentes químicos para prevenção de riscos ocupacionais das empresas
abril 24, 2019
Poço artesiano em condomínio análises necessárias para saber a potabilidade da água
Poço artesiano em condomínio, análises necessárias para saber a potabilidade da água
abril 25, 2019
Análise de potabilidade de poços artesianos

A água é um recurso essencial para a vida que necessita ser gasto de maneira racional. A sua má qualidade pode gerar perigo a saúde humana. Este é um elemento raro de ser achado puro, até mesmo a água oriunda da chuva, ao cair, carrega impurezas do ar. Com valores acessíveis para a manutenção, os poços são bem comuns. Já a análise de potabilidade de poços artesianos é exigida para uso como fonte de água potável.

Vale salientar que um poço artesiano é definido devido à água que sai naturalmente da terra em um aquífero confinado.

Isso ocorre sem que exista a necessidade de efetuar algum tipo de bombeamento do solo.

Efetuar a análise de potabilidade de poços artesianos é de vital importância visando identificar a água que está prestes a ser ingerida e repassada às pessoas que estão a sua volta.

Mesmo que esse recurso hídrico apresente uma condição bastante pura até em comparação com os poços tradicionais, essa precaução é primordial.

Além disso, é indispensável realizar essa avaliação da qualidade da água a fim de contar com todos os documentos para conseguir a legalizar a utilização do poço em questão.

Importância da água em condição pura

A água, classificada como uma espécie de solvente universal, cobre cerca de 75% da superfície do planeta e dois terços do corpo de uma pessoa adulta.

Aproximadamente 97,5% da água é considerada salgada e somente 2,5% se refere à água potável no globo.

Lembrando que quase 70% das águas doces pertencem as geleiras ou neve.

O restante se encontra em fonte subterrânea e 0,3% da água está nos rios e nos lagos.

O fato é que só 3% de toda a água do Planeta Terra é classificada como algo adequado para ser ingerido por homens e homens.

Sendo que a quantia total de água a disposição da humanidade, a sua maior parcela corresponde às águas subterrâneas.

Portanto, os rios e lagos equivalem a uma proporção consideravelmente baixa em comparação às outras fontes.

É possível entender que a água é um elemento em grande abundância no mundo, só que uma mínima fração oferece acesso imediato ao homem.

Desta maneira, a sociedade precisa tomar algumas ações para seguir com recurso de qualidade a sua disposição, se houver a necessidade.

Recursos hídricos para Análise de potabilidade de poços artesianos

É relevante salientar a preservação dos recursos hídricos para a continuidade da vida humana.

Isso porque está se transformando em um verdadeiro desafio achar água totalmente livre de contaminações e agentes nocivos.

Boa parte destes perigos está vinculada diretamente com os trabalhos industriais, a eliminação incorreta de resíduos na natureza, as alterações do clima, o avanço das cidades, que acabam por modificar até a qualidade dos recursos hídricos.

Em função disto, as fontes subterrâneas surgem como alternativa barata e indispensável de abastecimento até para locais que não tem acesso ao sistema público ou aqueles que contam com o serviço, só que de maneira irregular e instável.

Afinal, a água subterrânea é uma das mais adotadas para o consumo humano no planeta.

Tanto no Brasil quanto no restante do mundo é fundamental fazer a análise de potabilidade de poços artesianos.

Tudo para verificar se a qualidade de água está dentro dos níveis solicitados pelas normas em vigor no território nacional.

Assim, o cidadão fica ciente se a sua fonte possui capacidade de propagação de enfermidades provocadas pelos microrganismos patogênicos de fezes.

Legislação referente a análise de potabilidade de poços artesianos

O país tem normas específicas destinadas a definição do ponto adequado de consumo humano para a água nas suas mais variadas fontes.

Com relação aos requisitos para a análise de potabilidade de poços artesianos, há a Resolução RDC nº 274 de 2005, e a Resolução RDC nº 275 de 2005;

Essas duas resoluções contam com classificações e instruções ambientais detalhando os padrões máximos de cada substância a ser avaliada para se ter uma água apropriada.

A partir daí, dá para concretizar uma análise de potabilidade de poços artesianos através de parâmetros físico-químicos e microbiológicos.

Análise de potabilidade de poços artesianos para dispensa de outorga

Vale lembrar que ainda existe a análise de potabilidade de poços artesianos para dispensa de outorga.

Essa categoria é bastante resumida e demanda a verificação de alguns pontos a partir da Portaria do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) nº 2.292 de 14 de dezembro de 2006.

Neste procedimento, são conferidos os seguintes itens: a tonalidade, a turbidez, o pH, a amônia, a dureza, total, o nitrito, o nitrato, o fluoreto, o ferro, os cloretos e até a Escherichia coli.

Em determinadas situações, esse órgão também pode inserir outros parâmetros, como o benzeno, o tolueno, o etilbenzeno, o xileno e o benzo(a)pireno.

Já a análise de potabilidade de poços artesianos com a finalidade de outorga é bem mais complexa.

A outorga se refere a declaração com escritura pública visando o direito de utilizar a água.

E um dos itens para ter a documentação necessária é a avaliação da água do poço completa conforme a Portaria nº 2.914 do Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Área de Clientes